Segunda-feira, 10 de Julho de 2006

Regras!!

Foi-me dito que, aquilo que eu acho muito natural, nem todas as mães são capazes de o fazer, ou seja, "impor" regras aos filhotes!
 
Pois é... O meu Alexandre é um menino com necessidades especiais, mas nem por isso eu deixo de o fazer sentir que quem comanda o barco são os papás.
O pequenino começa agora a fazer as suas birrinhas!!
 
No outro dia à meia noite cismou que queria ir passear...
E como é que eu descobri isso?
 
O Alexandre já tinha comido, já tinha esvaziado a tripita e já tinha arrotado bem arrotadito, e continuava a chorar!!
 
Peguei nele, e ele sempre a chorar, vesti-lhe uma camisola (que era do pijama, mas isso ele ainda não percebe) e dirigi-me à porta.
Adivinhem... Parou o choro!!
 
“Pois é filhote, mas isto não são horas de ir passear. A mamã só queria ver se era mesmo isto que tu querias, mas agora vais fazer naninha, porque amanhã é dia de trabalho e a mamã tem que se levantar cedo!”
 
Deitei-o na cama e foi ouvi-lo a chorar, mas mesmo assim não peguei mais nele. Virei-o de barriga para baixo e ele continuou a chorar, mas ao fim de algum tempo, acabou vencido pelo cansaço.
 
Sabem que eu acho que não gosto menos do meu filho, porque o deixo chorar de vez em quando. Se tenho consciência de que está tudo bem, então que chore se lhe apetece. A verdade é que se eu não lhe mostrar agora como são as coisas, mais tarde ele não vai entender quando eu não lhe fizer as vontades. Depois fico cansada, aborrecida e não consigo ter a paciência que preciso para o acompanhar.
Podem até achar que eu sou egoísta, ou algo do género, mas a verdade é que se o meu filho consegue compreender que quer ir passear, também consegue compreender que quando eu digo “não” é: “não”!
 
É como as crianças “normais”. Todos acham muita piada quando eles são pequeninos e dizem asneiras, mas depois crescem e já ninguém acha piada e eles não conseguem perceber o que estão a fazer de errado, se sempre fizeram o mesmo e nunca ninguém ralhou. E isso fica feio.
 
Com os meninos com necessidades especiais também é preciso criar regras, para que possamos estar bem connosco e principalmente que não seja um inferno estar com eles.
 

Beijos “regrados” per tutti!

publicado por o-sitio-do-alex às 20:50

link do post | comentários | favorito
|
6 comentários:
De Brunix a 12 de Julho de 2006 às 15:41
Adorei a tua visita no meu cantinho espero que voltes mais vezes!!!! Qt ao teu post acho que fazes muito bem em reagir assim!!! Não devemos fazer as vontades todas,uma de vez em quando tb não faz mal!!! beijocas para os dois!!!
De sandra a 12 de Julho de 2006 às 15:16
Pois é linda o Alex acima de tudo é uma criança normal que precisa de regras como as outras, só que é especial.

Ele tem vontades, como disseste e vocês impõe regras, eu tb deixo o André a chorar por birras, eles têm que perceber o errado e o correcto e ver quem manda são os papás.

Olha tens que ter forçae lutares pelos direitos do Alex, e melhores dias virão....eu tb me guio com essa frase.

beijokas
De Grilinha a 12 de Julho de 2006 às 00:09
Fazes o que uma tem de fazer. Com o que pensam não te preocupes. Claro que sabes o que é melhor para o Alexandre. Ele tb deve aprender a acalmar-se por si...sózinho, não é? Não me esqueci te ti, amiga. Um grande beijinho.
De Cláudia a 11 de Julho de 2006 às 08:10
Tens toda a razão!
Firmeza...sempre!
Regras... sempre!...
Mas também sempre com carinho, atenção, a nossa mão dada... a nossa presença.
Consegues fazer o que muitas mães com filhos "especiais" não conseguem... a verdade é que eles têm de ser educados como qualquer outra criança... porque na realidade são iguais... precisam dessas regras para se orientarem.
Um beijão grande para voces,
Cláudia
De Cristina a 11 de Julho de 2006 às 01:13
Olá... tive alguma dificuldade em ler a segunda parte do teu post porque ficou com uma letra muito miudinha... não sei se é do meu computador se calhar é.
Que idade tem o teu Alexandre?
O meu Alexandre também faz muitas birras e eu costumo proceder assim: Quando ele começa com as birras eu falo com ele, tento distraí-lo mas não cedo. Ele acaba sempre por esquecer-se do porquê da birra, acalma e sorri. Às vezes demora um bocadinho mas acabo sempre por conseguir. costumo fazer o seguinte: não o deixo sozinho; falo do porquê de ter de ser necessario a situação que depoletou à birra e de ele não ter razão, falo com calma, tentando manter uma voz meiga mas firme (eu sei que ele ainda não percebe visto ter apenas 11 meses mas assim vai-se habituando à conversa); tento distraí-lo com objectos apelativos; às vezes canto as musicas que o fazem rir. Acima de tudo dou importância às birras dele, não o deixo a chorar sozinho. No teu post não explicas se ficas com ele ou não mas na minha opinião não o devias deixar sozinho a chorar. Com isto não quero dizer que lhe devas fazer as vontades, não! deves ser firme naquilo que queres, mas não o deixes sozinho...
mil beijinhos
Cristina
De carla m. a 10 de Julho de 2006 às 22:41
Compreendo te perfeitamente e concordo contigo miga, as pessoas vão facilitando porque são pequenos e não fazem por mal, mas quando crescem não teem moral para lhes dizerem que agora não podem dizer asneiras (por explo).
Beijos

Comentar post

.Quem sou eu

.pesquisar

 

.Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Actualização

. Novidades!!

. Terapia Quântica

. Snowzellen

. De volta ao Trabalho

. Despedida de Solteira

. Resposta a Desafio...

. Isto hoje vai ser um post...

. O meu filhote está a fica...

. Update!!

.arquivos

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

.Sites OK

.Contador

blackjack
black jack strategy
blogs SAPO

.subscrever feeds